-------------------------------------------
| HOME | TRADUÇÕES | TRANSCRIÇÕES | HINOS |
-------------------------------------------

As Maneiras de Deus são Diferentes das Nossas Maneiras

Primeira Reunião
(30 de Janeiro de 1964 – Noite)


Apenas posso repetir as palavras da minha esposa ao dizer quão contente me sinto por estar aqui com vocês novamente! Os momentos extremamente preciosos que tivemos juntos nas minhas últimas duas visitas se mantiveram frescos como uma lembrança muito desfrutável. Mas quero agradecê-los, queridos amigos, pela calorosa recepção que nos proporcionaram. Manila sempre nos dá uma calorosa recepção. E lhes digo que há apenas dois dias deixamos o frio congelante de Londres, entramos no avião vestidos com todas as nossas roupas de inverno. Quando chegamos aqui em Manila, chegamos com uma muito calorosa recepção, em mais de um sentido. Não creio que o calor do clima aqui seja maior do que o calor de sua recepção, quando olhamos ontem para o aeroporto de dentro do avião e vimos aquela multidão de rostos alegres e ouvimos aquelas vozes alegres e sentimos aquelas mãos alegres. Vocês teriam que estar no nosso lugar para entender o que quero dizer quando agradeço sua calorosa recepção. Essa é a primeira coisa que gostaria de vos dizer. Espero que quando partirmos, vocês não tenham se esfriados em relação a nós.

Agora deixe-me dizer algumas palavras sobre como ocorreu de estarmos aqui e porque estamos aqui. Recebi uma considerável quantidade de convites exigindo que eu viesse até Manila, durante mais ou menos dois anos. Durante este tempo, os convites foram se tornando cada vez mais fortes. Talvez vocês se perguntem porque eu esperei por quase dois anos. A explicação é muito importante e será uma das questões vitais em nosso tempo juntos. Não nos demoramos tanto assim porque não queríamos vê-los, nem porque não queríamos vir e ajudá-los. Mas vocês sabem, queridos amigos, somos os prisioneiros de Jesus Cristo. Não podemos ir aonde queremos ir. E não podemos nos mover quando queremos nos mover. Quando fizemos de Jesus o Senhor, O fizemos Senhor de todos os nossos movimentos todo o tempo. Lembrem-se que o apóstolo Paulo por duas ocasiões tentou ir a certos lugares. Ele pensou que seria bom ir para Bitínia. Havia uma grande necessidade em Bitínia e, sem dúvida, as pessoas ali estavam pressionando-o a vir até eles, mas ele disse: "o espírito de Jesus não o permitiu" (Atos 16:7). Ele sentiu o mesmo sobre a Ásia. Ele começou a mover-se em direção a Ásia e a Ásia era uma parte do mundo muito carente. As igrejas na Ásia se tornariam as sete igrejas para as quais temos as sete cartas no livro de Apocalipse. Mas naquele momento, ele foi proibido de pregar a palavra na Ásia. Vocês veem, não é a necessidade que governa. Não é quando sentimos que devemos fazer algo que aquele é o momento de fazê-lo. Não é quando pensamos que seria bom fazê-lo.

O momento do Senhor é algo muito importante. Se você sai do momento do Senhor, você pode estragar tudo. O Senhor sabe tudo sobre a necessidade. O Senhor sabe tudo sobre o convite das pessoas. Mas o Senhor diz: "agora não, terei o Meu tempo para isso." Ele não disse a Paulo o porquê ele não poderia ir para Bitínia e Ásia. Ele apenas disse para ele não ir. Ele simplesmente disse: "não, agora não." E Paulo, sendo um prisioneiro de Jesus Cristo, sabia que ele não poderia se mover até que o Senhor se movesse. Espero que vocês percebam que isso é um princípio muito importante em todas as coisas do Senhor. Pode ser algo muito bom, pode ser algo muito correto e pode ser algo que o Senhor vá fazer, mas deve ser feito no tempo do Senhor. Se eu tivesse vindo no ano passado ou há dois anos, algo muito importante poderia ser perdido por dois anos. E eu teria dito: "não, ainda não chegamos no ponto." Evidentemente a hora não havia chegado. Mas esse não é o fim da nossa história.

Aqui estamos. Finalmente, aqui estamos. E isso não é por causa da pressão dos convites, é por causa da nossa espera contínua no Senhor que tivemos a percepção que o Senhor estava dizendo: "agora é o momento." Sabem, muitas coisas grandiosas são necessárias quando a questão é ir de um lugar do mundo para o outro, especialmente quando se é idoso, tão idoso. Já não somos jovens. Costumávamos viajar bastante ao redor do mundo. Não percebíamos muito quando éramos mais jovens. Mas atualmente não é tão fácil. Estamos ficando velhos. Entretanto, isso só torna as viagens mais importantes ao ir com o Senhor. Assim que percebemos que o momento do Senhor havia chegado, começamos a receber aqueles vários sinais do Senhor que o confirmava. Não irei aborrecê-los com todos os detalhes, mas creio que nesta noite aprendi pela primeira vez o que o Senhor disse à minha esposa. Se ela já me havia dito aquelas palavras do Senhor, eu não me lembro de tê-las ouvido. Mas fui ao Senhor e pedi a Ele uma palavra a mim. Eu disse: "Senhor, é muito importante que me dê uma palavra para prosseguir." Uma manhã eu estava lendo minha bíblia um capítulo que conheço muito bem. Eu estava lendo o capítulo 52 do profeta Isaías. Eu não sabia que receberia a resposta do Senhor para a minha oração naquele capítulo. Mas enquanto eu prosseguia lendo, cheguei em um versículo que foi como se o Senhor estivesse dizendo: "Esta é a minha palavra a você sobre Manila." E as palavras foram: "Porque o Senhor irá diante de vós, e o Deus de Israel será a vossa retaguarda" (Isaías 52:12).

Foi isso que Deus nos falou: enquanto íamos, deveríamos encontrá-Lo sempre à nossa frente. Descobriríamos que Ele foi adiante e haviam muitas coisas a serem deixadas para trás. Haviam muitas responsabilidades, as quais deveríamos cuidar. Mas a palavra disse: o Deus de Israel será a vossa retaguarda. O Senhor estará à sua frente e o Senhor estará à sua retaguarda. Você acha que existe algo melhor do que isso para se desejar? Nós viemos aqui firmados nessa palavra e esperamos encontrar o Senhor à nossa frente todos os dias.

Agora, o que há no meu coração para este tempo que estaremos aqui? Quero que entendam o que direi agora. Espero que não fiquem desapontados. Não sinto que o Senhor me trouxe aqui para dar-lhes muito ensinamento. Quero dizer, não sinto que vim trazer-lhes algo que estudei na palavra de Deus ou dar-lhes uma série de abordagens sobre alguns assuntos. Não é algo que eu obtive de outra pessoa, nem de livros ou homens. Sinto que o Senhor quer que eu fale o que venha da minha experiência. Experiência é algo de grande valor. Há uma ampla quantidade de pessoas que podem nos dar maravilhosas abordagens bíblicas. Mas experiência é muito mais importante do que isso. E, como sabem, tivemos uma longa experiência com o Senhor.

Pessoalmente, estou na obra do Senhor por pouco mais de cinquenta anos. Esses têm sido cinquenta anos de experiência muito ampla e profunda na escola do Senhor. Ele tem procurado me ensinar coisas em minha própria vida. E a coisa mais importante que Ele está me ensinando são os princípios sobre os quais Ele trabalha. Tenho muito a vos dizer sobre isso. Mas quero colocar uma ênfase aqui. Não é teoria que vou lhes apresentar. Não é algo que estudei antecipadamente para as reuniões. Mas é o que vem da experiência prática sob a mão do Senhor. Portanto, será algo muito prático.

Tenho certeza de que vocês possuem muita teoria. Vocês têm uma grande porção de ensinamentos. Talvez eu não possa lhes ensinar mais do que já sabem. Mas talvez esses cabelos grisalhos falem por si mesmos. Eles falam de uma profunda experiência na escola de Deus. O que tenho a vos dizer é aquilo que Deus fez em mim. Queridos amigos, vocês não terão um momento muito fácil. Vocês serão confrontados com questões muito práticas. Agora, se vocês não pretendem ser sérios com o Senhor, não venham a essas reuniões. Entenderei que todos os que vierem, realmente são sérios com Deus.

Vocês receberam muito ensinamento sobre o propósito de Deus. Presumo que, se forem questionados, cada um de vocês conseguiriam escrever em um pedaço de papel o que sabem sobre o que é o propósito de Deus. Mas há algo mais importante que o propósito de Deus. É a forma como Deus realiza Seu propósito. É um pouco mais importante saber como Deus cumpre Seu propósito do que saber qual é o Seu propósito. Deus tem um caminho, não apenas um fim, e é muito importante saber os caminhos de Deus assim como o fim de Deus. Se há uma coisa que aprendemos mais do que qualquer outra coisa na escola de Deus, é isso. As maneiras de Deus são muito diferentes das nossas maneiras. Quão frequente era fazermos algo de determinada maneira e o Senhor dizia: "Esta não é a minha maneira. Sua maneira não é a Minha. Meus pensamentos não são os seus pensamentos. Eu tenho a Minha maneira de fazer o que quero que seja feito." Você não pode apenas dizer: "Eu sei que o Senhor quer que isso e aquilo seja feito, então, eu farei!" O Senhor diz: "Espere um pouco, eu tenho uma forma de fazer isso, e a Minha forma é tão importante quanto o Meu objetivo." Creio que o Senhor deseja que aprendamos algo sobre a Sua maneira nesses dias que estaremos juntos – que aprendamos aquelas leis espirituais que governam o propósito de Deus.

Só mais uma última palavra, especialmente aos jovens, bem como a todos os outros. Isso de aprender a maneira de Deus é um assunto para a vida toda. Eu não sei tudo. Ainda não aprendi tudo. Ainda preciso aprender muito sobre a maneira de Deus. Constantemente o Senhor precisa me dizer: "Não, dessa maneira não." "Não, agora não." Esse é um aprendizado para toda vida. Mas o Senhor é muito fiel conosco. Se realmente estamos em Suas mãos, Ele nos ensinará Suas maneiras. Vocês sabem que a palavra para Israel foi: "para Israel o Senhor mostrou Suas obras, mas a Moisés e Arão, Ele mostrou seus caminhos." E os caminhos são mais importantes que as obras. Moisés e Arão eram honrados servos do Senhor, e a eles o Senhor mostrou Seus caminhos. Para todo o povo, Ele apenas podia mostrar Suas obras. Vocês estarão satisfeitos vendo apenas as obras do Senhor? Ou vocês preferem estar nos segredos do Senhor? Os segredos do Senhor são para os que O temem; e Ele mostrará os Seus caminhos (Salmo 25:14; 103:7). As outras pessoas apenas verão Suas obras.

Peço que nestes dias vocês dediquem seus corações a conhecer os caminhos do Senhor. Pois isso é realmente o mais importante. Eu pretendia apenas lhes dar uma palavra de saudação, para agradecê-los pela recepção e dizer que muitos em Londres disseram: "Deem nossas saudações aos amigos que lá estão." E como podem ver, fui muito além disso. Mas espero que eu não tenha vos cansado.

Capítulo Anterior | Índice | Próximo Capítulo