-------------------------------------------
| HOME | TRADUÇÕES | TRANSCRIÇÕES | HINOS |
-------------------------------------------

Adorando em Espírito e em Verdade

Quinta Reunião
(5 de Fevereiro, 1964 – Manhã)


Creio estar claro que nesses períodos da manhã não darei mensagens expositivas. Quero apenas levá-los aos princípios fundamentais da obra de Deus para nos limitarmos ao máximo em nossas reuniões. Pode ser uma tarefa difícil retornarmos ao Senhor Jesus. Não muito tempo após os apóstolos terem partido, todas aquelas coisas entraram no cristianismo, as quais estamos familiarizados hoje. O batismo de crianças substituiu o batismo por imersão pela fé em Jesus Cristo. Isso foi instituído pouco tempo depois do apóstolo João partir para o Senhor.

E então, o cristianismo se organizou em um sistema eclesiástico com "bispos" e "arcebispos" culminando com um papa. As roupas e rituais do cristianismo posterior veio já naquela época. Pessoas em autoridade eram colocadas lá não por serem homens espirituais, mas por outros motivos. Essa tendência já começara a se manifestar antes dos apóstolos encerrarem seus ministérios. É muito importante percebermos isso, pois herdamos um cristianismo que não é verdadeiro quanto ao seu início.

Agora considere talvez a última carta do apóstolo Paulo, ou seja, a segunda carta a Timóteo. Claro, há muitas coisas naquela carta que todos nós gostamos muito. Gostamos de 2 Timóteo 2:15: "Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade." Mas nem sempre percebemos que essas palavras contêm uma correção. Elas podem ser um pedido de retorno à posição original. Claro que gostamos de: "Tu pois, sofre as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo." Mas nem sempre percebemos que é acompanhado de: "Combate o bom combate da fé" (1 Tm 6:12). A batalha do soldado de Jesus Cristo é a batalha pela pureza da fé. Isto é, a pureza do cristianismo como era no início. Precisamos ler Segunda Timóteo sob a luz dessa verdade. Ela foi escrita porque as pessoas não estavam se comportando de forma adequada na casa de Deus. Paulo disse que escreveu aquela carta para que os homens soubessem como se comportar na casa de Deus. Havia má conduta na casa de Deus. E vocês sabem que, provavelmente, Timóteo era um ancião na igreja em Éfeso. Isso era algo terrível para se dizer à Éfeso. Pense em tudo o que você sabe sobre Éfeso. E então Paulo disse que até mesmo em Éfeso os homens não estavam se comportando de forma adequada na casa de Deus.

Mais tarde devemos falar sobre as coisas que precisavam ser corrigidas. Mas por enquanto, nosso objetivo é vermos como tão cedo naquela época as coisas estavam começando a se desviar de sua posição original. As últimas cartas escritas no Novo Testamento foram as cartas do apóstolo João. Ele escreveu todas as suas cartas e seu evangelho depois de todos os outros apóstolos terem partido para o Senhor. Creio que todos nós apreciamos as cartas de João. Suponho que apreciamos o evangelho de João, talvez mais do que os outros. Mas você realmente percebeu a natureza das cartas de João? Ele inicia sua primeira carta com essas palavras: "O que era desde o princípio." Nos leva de volta ao princípio. E então as cartas abordam doutrina corretiva e caráter corretivo. Eles estavam afastando-se dos ensinamentos originais e afastando-se do padrão de vida original. Agora, repare novamente, João estava provavelmente escrevendo para Éfeso. Então, quando você chega ao livro de Apocalipse, o Senhor começa com Éfeso. E Ele diz à Éfeso: "Vocês abandonaram o primeiro amor." Vocês se afastaram da posição original. Creio já ter dito o suficiente para provar que nos escritos finais do Novo Testamento, por um lado, as coisas estavam começando a se afastarem da posição original. Por outro lado, os apóstolos estavam preocupados em trazer os crentes de volta à posição inicial.

Por muito tempo eu me perguntava porque os evangelhos foram escritos tão tarde no período neotestamentário. Porque Mateus, Marcos, Lucas e João aparecem primeiro no Novo Testamento, como os vemos, sendo os primeiros livros agrupados no volume do Novo Testamento, somos tentados a ter a impressão de que esses são os primeiros escritos. Quero corrigir isso, caso seja um engano seu. Esses quatro evangelhos foram escritos depois da maioria das epístolas. Eu costumava me perguntar o porquê disso. Por que os escritores dos evangelhos deveriam voltar à vida terrena do Senhor Jesus depois dessas maravilhosas revelações terem sido dadas? Eles haviam recebido a maravilhosa revelação do Senhor ressurreto, ascendido e celestial. Eles haviam recebido a maravilhosa revelação da igreja, a qual é Seu Corpo. Eles chegaram a ver algo dos eternos conselhos de Deus. E após terem recebido tudo isso, retornaram aos três anos e meio da Sua vida terrena. Por muito tempo me questionei o porquê disso. A mim, me parecia como descer do céu à terra, como retornar do eternal ao temporal. Eu não entendia isso. Então eu fui às epístolas e por muitos anos me ocupei totalmente com elas. Fiquei tomado por esses eternos conselhos de Deus. Fui tomado pelo corpo espiritual de Cristo, a igreja. E, quase que totalmente, eu vivi nos últimos escritos do Novo Testamento. Ainda assim, o fato é que aqueles homens escreveram aquelas cartas depois que as epístolas foram escritas. Isto é, muitas das epístolas, não todas. Agora vejam, eu tinha um questionamento e por muito tempo não tive resposta. Não entendia porque os evangelhos foram escritos tão tardiamente. E ainda que foram escritos depois de algumas epístolas, o Espírito Santo os colocou como os primeiros livros no Novo Testamento.

Agora, veja, aqui temos uma lei espiritual. O Espírito Santo nem sempre está preocupado com cronologia. Cronologia é uma coisa, ordem espiritual é outra coisa. Entenderam? O Espírito Santo está sempre preocupado com a ordem espiritual. Essa era a minha questão, mas tive a reposta para essa questão em minha própria experiência. Mais tarde, o Espírito Santo me conduziu de volta aos evangelhos.

Agora, sobre isso, quero colocar um outro ponto que é algo muito importante. Quando comecei a ler a bíblia, especialmente o Novo Testamento, fiz o que a maioria das pessoas fazem. Li os quatro evangelhos como a história da vida, obra e ensinamentos terrenos de Jesus. É uma história muito interessante sobre como Ele nasceu, um bebê, na cidade de Belém, e sobre os pastores, e os magos, e a estrela, e tudo isso. Isso é muito interessante. E como Ele cresceu na carpintaria na cidade de Nazaré. E então, com doze anos Ele foi levado ao templo, em Jerusalém. E como ele veio até o Jordão para ser batizado por João Batista. E Ele andou pela terra curando pessoas de suas doenças e ajudando-as em seus problemas. E grandes multidões O seguiram por toda parte por causa da ajuda que Ele podia prover, normalmente em questões físicas. E depois como os juízes tiveram inveja disso e tomaram conselho para matá-Lo. É uma história maravilhosa como Ele foi condenado e crucificado e depois como Ele ressuscitou no terceiro dia. Tudo isso faz essa história maravilhosa. Claro, essa era a forma como eu li os evangelhos. Eu peguei aquelas obras tradicionais, livros sobre a vida terrena do Senhor Jesus, livros muito interessantes, e isso era tudo para mim. Eu pensava que quando Jesus morreu e ressuscitou, foi o fim dos evangelhos.

Agora chegamos aos Atos. Agora vivemos nas epístolas! Eu percebi que está tudo errado. Todos podem ler os evangelhos dessa forma. Suponho que qualquer pessoa não convertida se interessaria em ler a história da vida terrena de Jesus, mas falhamos em perceber isto: ninguém pode verdadeiramente entender os evangelhos até que tenha passado pela experiência do livro de Atos. Essa é a experiência do pentecostes. Nem os próprios discípulos haviam entendido isso até o pentecostes. Até o pentecostes, eles não haviam entendido a obra e ensinamento de Jesus quando Ele estava na terra. Eu poderia levar uma hora mostrando-lhes isso. Eles estavam se movendo, durante toda a vida terrena de Jesus, com um céu fechado. Esse foi o problema que o Senhor Jesus tinha com eles. Ele disse: "Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido?" Durante todo o tempo, Sua angústia era que eles não entendiam o que estava dizendo.

E, por causa dessa cegueira espiritual, em vez de ver que em Sua crucificação todo o Antigo Testamento foi cumprido, eles ficaram indignados. Em relação à Sua morte, Ele sempre falava para eles: "para que se cumprissem as escrituras." E quando se cumpriram, Ele disse: "Isso é o que eu estava tentando dizer o tempo todo." Mas eles não enxergaram e portanto, ficaram indignados. Todos O abandonaram; e você sabe em qual condição eles estavam quando você vê aqueles dois homens no caminho para Emaús. Eles disseram a Ele: "Nós tínhamos a esperança que Ele era quem resgataria Israel. Todas as nossas esperanças estão desiludidas. Nossa fé estava enganada." Vê quão cego eles estavam? Foi apenas quando Ele abriu seus olhos, então conseguiram ver. Minha questão é essa: ninguém pode entender verdadeiramente até que tenha recebido o Espírito Santo e tenha uma experiência verdadeira e profunda de morte com Cristo, sepultamento com Cristo e ressurreição com Cristo; porque essa experiência, não essa doutrina, essa experiência traz um céu aberto. Quando tive uma experiência nova de ressurreição e união com Cristo, e de uma nova vida no Espírito Santo, o Espírito Santo começou a me conduzir de volta aos evangelhos e Ele começou a me mostrar o verdadeiro significado dos evangelhos. Os evangelhos se tornaram vivos em uma forma nova. Agora, tudo isso é a preparação para o que diremos.

Agora chegamos aos ajustes, que a nossa vida espiritual exige, e voltaremos ao princípio. Vamos iniciar pelo quarto capítulo do evangelho de João. Como sabem, esse capítulo contém a conversa de Jesus com a mulher de Samaria. Em certo momento naquela conversa, a mulher disse essas palavras a Ele, como temos no verso 19. A parte mais importante deste capítulo inteiro são os versos de 19 até 24. "Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta. Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." Vá para o capítulo 5, verso 25: "Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão." Pergunto-me se vocês percebem as coisas tremendas contidas nessas palavras. Em primeiro lugar, elas representam uma mudança completa na dispensação. Até aquele momento, era Jerusalém e Samaria; ou seja, era o templo em Jerusalém e o templo em Samaria. Aqueles templos representavam toda uma ordem histórica de eventos. A questão era haver um lugar especial em Samaria ou em Jerusalém, dependendo do que você era, samaritano ou judeu. Se você era judeu, Jerusalém era o centro de todas as coisas. Naquele templo você encontraria Deus e em nenhum outro lugar. A ordem das coisas no templo de Jerusalém era tudo, e você nunca encontraria isso em outro lugar. Os sacerdotes e os sacrifícios e o altar e todas as coisas, aquele templo era o centro de tudo.

Da mesma forma era com os samaritanos em relação ao templo de Samaria. Agora Jesus diz algo tremendo: "A hora vem, e agora é, em que nem em Jerusalém, nem em Samaria; nem neste lugar especial, nem naquele lugar especial." Todas as coisas não estarão centradas e contidas em algum lugar especial. A adoração a Deus não seria mais de determinada maneira. De nenhuma maneira e nem de outra! Isso é apagar com um traço uma dispensação inteira. Isso é algo tremendo. Suponhamos que você escrevesse naquela lousa e a enchesse com todas as suas doutrinas e práticas e como as coisas deveriam ser feitas. E você diria: "agora isso é o cristianismo". Alguém pode chegar com uma esponja molhada, apagar tudo e dizer: "isso é um absurdo, não é nada disso." O que você faria com essa pessoa? Você iria crucificá-la. Foi isso que Jesus fez. Ele apagou toda uma dispensação com um traço da Sua mão. Depois Ele colocou outra coisa em seu lugar. O que Ele colocou em seu lugar? "Deus é Espírito, e importa que os que O adoram O adorem em espírito e em verdade."

Todo aquele sistema de coisas pode ser muito real para você, mas pode não ser a verdade. Pode ser apenas um sistema de símbolos e tipos e isso não é a verdade. Você pode ficar totalmente ocupado com o que está na superfície e pelo que é visível: o que você ouve com seus ouvidos naturais, o que você vê com seus olhos naturais, e você pode não entender o significado de nada. É o significado que é a verdade e não a coisa em si mesma. O verdadeiro centro de todas as coisas para os judeus era a cerimônia da circuncisão. Ouça o apóstolo Paulo dizendo isso: "circuncisão não é nada e incircuncisão não é nada." Ouça um judeu dizer isso! Não é surpresa que tenham tentado matá-lo. Não, não é a coisa em si, e queridos amigos, no cristianismo, o batismo toma o lugar da circuncisão; mas o batismo pelo batismo não é nada. Na Etiópia, na comunidade cristã copta, os cristãos eram batizados todos os anos. Se quisesse, você poderia ser batizado todos os dias. Você poderia ser batizado todas as horas do dia e não faria nenhuma diferença. Você pode ir até a mesa do Senhor toda semana e não fazer nenhuma diferença. Você pode adotar todas as formas do cristianismo e na verdade não saber nada sobre ele. É isso que tocaremos nos nossos estudos pela manhã.

Meu tempo já se foi, eu prometi que deixaria vocês irem trabalhar, então preciso interromper neste momento. Vocês entenderam esse primeiro item? Continuaremos a partir disso, se o Senhor permitir, amanhã cedo. Quando Jesus disse: "Creiam em mim, a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade"; não precisava ser em Jerusalém, nem em Samaria, nem em Antioquia, nem em qualquer outro lugar. "Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles." João 3, verso 16 é a palavra universal para salvação. "Todo aquele que Nele crê," isso inclui todos para a salvação, chamados à salvação. Mateus 18:20 é o outro lado, é onde você chega à igreja. E você tem outra palavra universal para a igreja. Não é nesse lugar nem naquele lugar; não é nessa base ou naquela base. Não é uma base da igreja; é a base de Cristo! Onde quer que estiverem dois ou três reunidos em Meu nome, adorando em espírito e em verdade. A dispensação foi mudada. Essa é a primeira correção necessária hoje. O cristianismo se tornou, em grande parte, um sistema legalista. "Você tem que fazer isso aqui! Você tem que estar aqui! Você tem que fazer dessa maneira, ou você não é a igreja." O Senhor Jesus apagou tudo isso no início. É algo que veio posteriormente. Ele diz que a única base necessária é "em espírito e em verdade em Mim." Cristo tomou o lugar de todos os outros sistemas. CRISTO É O ÚNICO SISTEMA. Mas precisamos aprender Cristo. Preciso parar aí por esta manhã.

Capítulo Anterior | Índice | Próximo Capítulo