-------------------------------------------
| HOME | TRADUÇÕES | TRANSCRIÇÕES | HINOS |
-------------------------------------------

Quando o Governo Recompensa o Mal e Pune o Bem


John MacArthur
Grace Church (Igreja da Graça)
- 13 de Junho de 2021


É óbvio que eu tentei tratar, durante o último quase um ano e meio, os problemas que nos confrontam no país que vivemos, no mundo em que vivemos, no período em que vivemos. Mas penso que existe uma mensagem final que gostaria de colocar a vocês e é o conteúdo nesta manhã. Há muitos componentes e muitas partes e sua capacidade de atenção poderá ser um pouco testada.

Quando decidimos nos reunir como igreja – já faz um ano – e fazer isso sem considerar o que o governo estava dizendo que deveríamos fazer, houve muitas críticas. Essas críticas vieram de líderes evangélicos, pastores, blogueiros, escritores, amigos, inimigos – praticamente todos. Mas de nenhuma maneira abandonamos o que estávamos fazendo. E o Senhor tem nos demonstrado que mentiram para nós. Creio que não importa quais os problemas neste mundo, a igreja é a única esperança para o mundo.

Agora, quero ver se consigo, da palavra de Deus, juntar algumas coisas para lhes ajudar a entender porque essa é a nossa posição. E quero fazer isso porque penso que no futuro, para aqueles que são mais novos que eu – talvez eu viva para ver um pouco disso – que essa determinação de ser a igreja quando o governo quer te encerrar será testada novamente e será testada em um nível muito mais agressivo. Há muitas igrejas que falharam nesse teste e haverá muitas que falharão no próximo. Mas a igreja verdadeira segue Cristo, não o governo. Nosso presidente disse em uma ocasião no mês passado, que a maior ameaça à América é o racismo sistêmico – que não existe; supremacia branca – que não existe com algum poder; e o aquecimento global – que também não existe, e se existe, Deus está no comando.

Na verdade a maior ameaça a esta nação é o governo. E quero mostrar como podemos entender isso. Abra em Romanos 13. Ouça com atenção o que o apóstolo Paulo disse: "Que todos estejam sujeitos às autoridades superiores. Porque não há autoridade que não proceda de Deus, e as autoridades que existem foram por ele instituídas. Assim, aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus, e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação. Porque os magistrados não são para temor, quando se faz o bem, e sim quando se faz o mal. Você quer viver sem medo da autoridade? Faça o bem e você terá louvor dela, pois a autoridade é ministro de Deus para o seu bem. Mas, se você fizer o mal, então tenha medo, porque não é sem motivo que a autoridade traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar quem pratica o mal." A função do governo é restringir o mal; e quando funciona para restringir o mal, está cumprindo seu propósito ordenado por Deus.

Por favor, repare nos versos 1 e 2, que o governo vem de Deus, por Deus. Foi concebido como uma retenção necessária num mundo de pecadores. Os versos 3 e 4 nos dizem que não é uma ameaça aos que praticam o bem, mas o mal. São os que praticam o mal que deveriam temer, não os que fazem o bem. Na verdade, oferece elogio aos que praticam o bem e traz ira aos que praticam o mal. E os governantes na verdade, de acordo com o verso 6, são servos de Deus, devotos a esse serviço.

Esse foi o desenho de Deus para o governo. O problema que quando o governo cessa de funcionar de acordo com o projeto de Deus, ele renuncia sua autoridade. O mesmo seria verdadeiro em uma família. O desenho de Deus é que o pai lidere a família. Quando o pai lidera de forma destrutiva e má, ele renuncia o direito de exercitar essa autoridade dada por Deus.

Aliás, apenas uma nota de rodapé aqui, o homem que escreveu isso, o apóstolo Paulo, estava em violação do governo com mais frequência do que qualquer outra pessoa no novo testamento inteiro. E quando ele pregava o evangelho, frequentemente era lançado na prisão; e por fim, ele foi executado pelo governo ao qual ele se recusou a obedecer quando não mais funcionava para proteger bons comportamentos e punir maus comportamentos.

Uma segunda passagem, 1 Pedro 2, versos 13 e 14 creio serem suficientes: "Por causa do Senhor, estejam sujeitos a toda instituição humana, quer seja ao rei, como soberano, quer seja às autoridades, como enviadas por ele1, tanto para castigo dos malfeitores como para louvor dos que praticam o bem." Novamente aqui vemos que devemos nos submeter por causa do Senhor. "O que você quer dizer com ‘por causa do Senhor’?" Quando o governo está fazendo o que o Senhor projetou que ele fizesse.

Quando o governo vira o plano divino de cabeça pra baixo e protege aqueles que fazem o mal enquanto causa medo aos que fazem o bem, ele perde seu propósito divino. Em nosso mundo hoje os governadores estão planejando uma cultura que protege o que é imoral. Chegou até ao ponto onde eles desejam proteger criminosos e deixar com medo aqueles que fazem o bem. Quando criminosos estão sem restrições por não temerem as consequências, mas a polícia está restrita pois teme as consequências de parar criminosos, você sabe que tudo está de cabeça para baixo. Nosso governo é a fonte de mentiras e o protetor de mentiras, e o inimigo daqueles que dizem a verdade. Ele louva o mal e persegue o bem.

Então, o plano de Deus para o governo foi totalmente corrompido. Conforme essas esferas de controle na sociedade humana divinamente planejadas descem ao caos, o governo cessa de funcionar da forma que Deus o planejou e se torna de fato o inimigo do plano divino. Irá virar tudo de cabeça para baixo. Irá se tornar o condenador daqueles que praticam o bem, como colocar o James Coates na prisão por pregar e deixar agitadores livres.

Agora quero que entendam que existem alguns motivos sobrenaturais pelos mais isso está ocorrendo. Os motivos não são políticos. Em medida geral, não são nem sociais. Se voltarem a 1 João e reconectar com a passagem da semana passada, 1 João 2:15-17: "Não amem o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo – os desejos da carne, os desejos dos olhos e a soberba da vida – não procede do Pai, mas procede do mundo. Ora, o mundo passa, bem como os seus desejos; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre."

O mundo é o inimigo de Deus, inimigo do Deus triúno: Pai, Filho e Espírito Santo. O mundo é o inimigo das escrituras. O mundo é o inimigo do evangelho. O mundo é o inimigo da igreja. O que quero dizer por ‘o mundo’? Lembrem-se que na semana passada eu falei do mundo como o complexo2 da maldade. O mundo é o kosmos, significa um sistema. O complexo da maldade trabalha contra o bem.

Então, temos o governo que é parte do mundo, voltado a restringir o mundo do qual é parte. É muito difícil de se manter porque é tudo parte do mesmo sistema. O complexo da maldade trabalha em todo lugar e o governo não é exceção porque as próprias pessoas a quem foi dada a responsabilidade de restringir o mal são elas mesmas incapazes de estarem sem o mal. Isso causa problemas suficientes. Temos um sistema humano composto por pessoas pecaminosas e más tentando controlar uma cultura de pessoas pecaminosas e más. O potencial de colapso é inevitável e tem se demonstrado historicamente. É por isso que a bíblia nos diz que o mundo fica cada vez pior; homens maus se tornam piores e piores com o tempo.

Mas existe algo além disso. Existe algo além do simples conjunto humano de pecadores tentando restringir o pecado, o que no fim, é um esforço perdido. Existe algo mais que devemos enfrentar e isso está em 1 João 5:19: "Sabemos que somos de Deus". Nós, crentes, somos de Deus. E então temos essa afirmação muito, muito importante: "e que o mundo inteiro jaz no maligno." O mundo inteiro está no controle do maligno. Não é apenas que todos são pecadores; é que existe uma força sobrenatural: o maligno.

Quem é esse arqui-inimigo de Deus, o maligno? Veja em João 12:31, onde Jesus fala do diabo e diz que ele é o príncipe3 deste mundo. E novamente em João 14:30, Ele chama o diabo de príncipe deste mundo. E novamente no capítulo 16, verso 11, pela terceira vez, "o príncipe deste mundo". E em Efésios 2:2 ele é "o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência".

Então, temos Satanás que é o governador do mundo, que opera no sistema e – ouça com atenção – nas pessoas. O munto inteiro está em seu reino – João 8:44: "Vocês são do diabo, que é o pai de vocês". E Satanás está neles no sentido de que ele pode atribuir sua diabólica, maligna decepção aos desejos dos olhos, aos desejos da carne e à soberba da vida – e dessa forma exercer influência sobre eles. Ele é o "deus deste mundo" (2 Coríntios 4:4); que cega os pensamentos. Paulo diz em Efésios 6:12: "Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne4, mas contra os principados e as potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestiais."

Não é apenas um complexo humano de maldade, é que atrás disso todas as forças do inferno operam. O inimigo não está apenas pessoas pecadoras, está no sistema maligno por trás da maldade visível, no sistema invisível sob o controle do príncipe dos demônios – o próprio Satanás e toda sua tropa. A maldade opera no coração de todo ser humano, então existe um kosmos maligno que opera no coração humano. Mas existe um outro poderoso kosmos maligno no mundo espiritual invisível dirigido por Satanás.

Qual o objetivo de Satanás? Ouça as palavras de Pedro. 1 Pedro 5:8: "O inimigo de vocês, o diabo, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar." Ele é um assassino. João 8 nos diz que ele é um mentiroso, pai de toda mentira; e ele é um assassino. Ele tenta, mente, seduz, difama. As escrituras nos dá todas essas ilustrações. Ele distrai, divide, destrói, peneira, silencia, planeja, rouba, oprime, processa, cega e mata.

E como ele consegue poder para fazer isso? Como ele é tão hábil em atrair pessoas aos seus métodos? A resposta está em Apocalipse 12:9, que diz: "Satanás, o sedutor de todo o mundo." Paulo disse aos coríntios que ele se disfarça de anjo da luz e é aí que está o engano.

Então, o que estamos lidando no mundo não é apenas um complexo de pessoas malignas, mesmo que tão vasto e abrangente essas pessoas sejam, estamos lidando com outro nível – não apenas o mundo humano visível, mas o mundo demoníaco invisível. O objetivo máximo de Satanás é impedir que as pessoas se acheguem a Cristo. Seu objetivo máximo é assumir o controle de tudo, governar no lugar de Deus. Ele é o usurpador e ele tem uma meta, um objetivo: ele está encabeçando a história humana em direção ao seu reino. Ele tem uma meta, um objetivo: Satanás está trabalhando sistematicamente para conseguir o seu reino.

Esse reino nos é descrito no livro de Apocalipse. Vá para o capítulo 13 de Apocalipse, que é uma das imagens mais impressionantes nesta incrível revelação. Conforme se move na história humana, Satanás quer remover da sociedade todo elemento da lei divina e todo elemento da verdade divina. Ele está movendo o mundo em direção ao seu design final. Em Apocalipse 13:1, João tem a visão de um dragão na praia do mar e ele vê um monstro, "uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças, e, sobre os chifres, dez diademas, e, sobre as cabeças, nomes de blasfêmia." Esse é um monstro que consolida poder e liderança nacional; o número dez e o número sete falam dessa consolidação. Todas as coroas estão em sua cabeça e elas possuem nome de blasfêmia porque esse é o reino que Satanás está unificando como a tentativa final de destronar Deus. É descrito que seu reino possui poder como de leopardo, de urso e de leão; e o que descobrimos aqui é que esse monstro é ninguém mais do que o anticristo final.

João disse que haviam muitos anticristos. Este é o definitivo, o último. Ele emerge do mar, das nações. Ele consolida todo poder mundial. Esse é o globalismo simbolizado pelos dez chifres – um número de finalização, completo – assim como as sete cabeças. Ele tem o poder consolidado e a autoridade consolidada. Ele é um blasfemador, mas um poderoso. O dragão é Satanás e este, na visão de João, dá ao anticristo o seu poder, seu trono e sua grande autoridade. No verso 3 diz que em algum momento no futuro, o mundo vai ficar maravilhado com esse monstro. E como resultado de sua influência, adorarão o diabo, o dragão, pois ele deu sua autoridade à besta. Eles adoram a besta, o monstro, o anticristo, dizendo: "Quem é semelhante à besta? Quem pode lutar contra ela?

Entendam, toda a história humana está progredindo em direção a um governo global sob o poder de Satanás, onde Satanás tem um monstro global governando o mundo inteiro. Já vimos que ele é um blasfemador, e note que o verso 5 diz "blasfêmias" e no verso 6, "blasfêmias". No verso 7, o que ele faz? "Foi-lhe permitido, também, que lutasse contra os santos e os vencesse. Foi-lhe dada, ainda, autoridade sobre cada tribo, povo, língua e nação." Esse governador global final fará guerra contra os santos.

Verso 8: "E ela será adorada por todos os que habitam sobre a terra, aqueles que, desde a fundação do mundo, não tiveram os seus nomes escritos no Livro da Vida do Cordeiro que foi morto." O mundo inteiro irá atrás dele. Estamos caminhando para um governo global, mundial, com um gigantesco e monstruoso líder.

Do verso 11 em diante ele tem uma tropa. É um outro monstro com dois chifres, como de cordeiro. Esse é um indivíduo mais benigno. Esse é o falso profeta. É o líder religioso que, em concordância com o líder político, o assiste. Ele exerce toda autoridade do primeiro monstro. Ele "faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal havia sido curada." Aparentemente há algum tipo de falsa ressurreição e é assim que ele ganha poder. Verso 13: ele "também opera grandes sinais, de maneira que até faz descer fogo do céu sobre a terra, diante de todas as pessoas".

Verso 14: "Seduz aqueles que habitam sobre a terra5 por causa dos sinais que lhe foi permitido realizar diante da besta, dizendo aos que habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que foi ferida à espada e sobreviveu." Então, uma vez tendo essa falsa ressurreição, ele estabelece a si mesmo como governante mundial e o falso profeta direciona o mundo a ele.

Avance para o verso 16. Não temos tempo para cobrir todos os detalhes. "A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz com que lhes seja dada certa marca na mão direita ou na testa, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta ou o número do seu nome." esse número é 666.

Estamos sendo conduzidos a um período quando haverá um reino satânico. Ele consolida todos os reinos do mundo. Acontecerá debaixo do monstro final, o anticristo, planejado pelo próprio diabo, e todo o mundo o seguirá. Junto deste líder político, há um líder espiritual, o falso profeta. Esse é aquele que atrai, seduz o mundo religioso para adorar o anticristo. Assim, ele se torna deus. Ele é o fantoche de Satanás.

Uma religião mundial – essa religião mundial final é o alvo do julgamento na visão de João em Apocalipse 17. Aqui em Apocalipse 17 essa religião única mundial, consolidada com o anticristo e o falso profeta, é chamada de "grande prostituta" porque é a prostituição da religião verdadeira. "Está sentada sobre muitas águas" – literalmente significa que cobre todo o globo – "Os reis da terra se prostituíram com ela" – isso quer dizer que os reis, os governantes, as nações do mundo consolidaram todo seu poder; metaforicamente, é como cometer adultério com uma prostituta. "E os que habitam na terra se embriagaram com o vinho da sua imoralidade." Portanto, o que acontecerá no fim é essa gigantesca unificação global de todo o mundo debaixo do anticristo e haverá um componente religioso, liderado pelo falso profeta.

No verso 3 também vemos esse monstro escarlate, cheio de nomes de blasfêmias, tendo sete cabeças e dez chifres – essa é uma referência ao anticristo. Então você vê a prostituta, a falsa religião, "estava vestida de púrpura e de escarlate, enfeitada com ouro, pedras preciosas e pérolas, tendo na mão um cálice de ouro transbordante de abominações e das imundícias da sua prostituição. Na sua testa estava escrito um nome, um mistério: BABILÔNIA, A GRANDE, A MÃE DAS PROSTITUTAS E DAS ABOMINAÇÕES DA TERRA". Essa falsa religião é representada como a prostituta do reino mundial único, global e final – a religião prostituta, a religião apóstata. Verso 6: "Então vi a mulher embriagada com o sangue dos santos", porque eles perseguem os santos. O reino do anticristo perseguirá os santos, matará os santos, derramará o sangue das testemunhas de Jesus. Como tudo acaba? Se você avançar ao verso 14, eles "lutarão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá".

Ou seja, é aí que Satanás está indo. Ele está reunindo o mundo, unificando o mundo de uma forma nunca antes possível no passado, porque ele não tinha a tecnologia para fazê-lo. Mas eles lutarão contra o cordeiro, e essa é uma proposta perdedora porque o Cordeiro os vencerá, "pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; serão vencedores também os chamados, eleitos e fiéis que estão com o Cordeiro." A história se direciona para isso. Não fiquem surpresos com os esforços globalistas. Não fiquem surpresos com governos abandonando a verdade divina. Esse é o plano de Satanás.

No capítulo 18 você tem uma visão da cultura mundial final. A religião é revelada no capítulo 17; no capítulo 18 você basicamente vê a cultura do mundo. Verso 9: "Os reis da terra, que com ela se prostituíram e viveram em sensualidade, vão chorar e se lamentar por causa dela, quando virem a fumaça do seu incêndio." O que significa isso? Verso 8: "Em um só dia sobrevirão os seus flagelos: morte, pranto e fome; e será queimada no fogo, porque poderoso é o Senhor Deus, que a julga." No final, Deus derrubará essa religião global e também o reino global.

Verso 10: "‘Ai! Ai de você, grande cidade, Babilônia, cidade poderosa! Pois em uma só hora chegou o seu juízo.’ E, por causa dela, choram e pranteiam os mercadores da terra, porque ninguém mais compra a sua mercadoria, mercadoria de ouro, de prata, de pedras preciosas, de pérolas, de linho finíssimo, de púrpura, de seda, de escarlate; e toda espécie de madeira odorífera, todo gênero de objeto de marfim, toda qualidade de móvel de madeira cara, de bronze, de ferro e de mármore; e canela de cheiro, especiarias, incenso, perfume, mirra, vinho, azeite, boa farinha, trigo, gado e ovelhas; e de cavalos, de carruagens, de escravos e até almas humanas." Verso 15: "Os mercadores destas coisas, que, por meio dela, se enriqueceram, ficarão de longe, com medo do seu tormento, chorando e pranteando."

Verso 16: "‘Ai! Ai da grande cidade, que estava vestida de linho finíssimo, de púrpura e de escarlate, enfeitada com ouro, pedras preciosas e pérolas, porque em uma só hora ficou devastada tamanha riqueza!’ E todos os pilotos, e todos aqueles que viajam pelo mar, e marinheiros, e os que ganham a vida no mar ficaram de longe. Então, vendo a fumaça do seu incêndio, gritavam: – Que cidade se compara à grande cidade? Lançaram pó sobre a cabeça e, chorando e pranteando". Perceba que João está enxergando isso em uma visão. É uma visão que descreve o que acontecerá.

Verso 19: "Ai! Ai da grande cidade, na qual se enriqueceram todos os que possuíam navios no mar, à custa da sua riqueza, porque em uma só hora foi devastada! Alegrem-se por causa dela, ó céus, e também vocês, santos, apóstolos e profetas, porque Deus julgou a vossa causa contra ela." Satanás está levando o mundo a isso. Repito, Satanás tem muitas estratégias, mas apenas um objetivo, que é ajuntar o munto inteiro em um anticristo final e empoderá-lo para derrotar Deus. Durante o processo, ele persegue os santos; ele busca matá-los.

Deixe-me lembrá-los de uma coisa. Falamos sobre perseguições e em alguns momentos experimentamos isso no sentido de que alguém não gosta de nós por causa do nosso testemunho cristão. Você pode ter problema com um professor durante uma aula na faculdade por causa do seu testemunho; você pode tirar nota baixa. Você pode perder seu emprego por causa das suas convicções e de seu testemunho. Esses são graus de perseguição. Mas lembrem-se disso: perseguição verdadeira, que significa prisão e execução, só podem ser realizadas pelo governo, não é? Não tem como existir um grupo de ateístas que saem para prender cristãos; apenas o governo pode fazer isso. Deus deu ao governo a espada, o poder, e quando eles prostituem esse poder e começam a punir aqueles que fazem o bem e proteger aqueles que fazem o mal, eles exercem o poder contra o povo de Deus.

Satanás sabe que para matar os santos ele precisa ter o único poder terreno legítimo e esse é o poder do governo. Então o governo é, sempre foi, e sempre será o perseguidor definitivo da igreja. É o governo – autoridade, poder constituído em leis e líderes – que essencialmente causaram todos os danos para a igreja durante a história. Então eu digo aquilo que disse no início: a maior ameaça à verdade e virtude neste país é o governo porque ele prostituiu totalmente o plano de Deus para ele. Durante toda a história, o governo é o perseguidor definitivo das pessoas. Satanás precisa ter acesso ao governo; e é aí que ele opera – sempre através do governo.

Vá para Isaías 14. O profeta Isaías falou ao rei da Babilônia. Esse é um julgamento contra o rei da Babilônia. Verso 4: "um insulto6 contra o rei da Babilônia". Um juízo contra o rei da Babilônia. Mas veja que interessante no verso 12, parece que esse julgamento é para mais do que o rei da Babilônia. "Veja como você caiu do céu, ó estrela da manhã, filho da alva!"

O rei da Babilônia caiu do céu? Não, mas quem caiu do céu? Lúcifer. Então quem está por trás do rei da Babilônia? Lúcifer. Isaías vai do julgamento do rei da Babilônia para o que está por trás do rei da Babilônia para a "estrela da manhã, filho da alva". "Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração" – isso foi o que Satanás disse quando estava no céu – "Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo." Eu irei, eu farei, eu serei. Essa é a rebelião de Satanás. Isaías nos mostra que é o próprio Satanás, aquele que caiu, quem está energizando o rei da Babilônia, controlando-o.

Existe uma sessão semelhante nas escrituras. Vá para Ezequiel 28:11: "Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Filho do homem" – Deus chamava Ezequiel assim – "levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro." Aqui estamos falando sobre o rei de Tiro. Tiro era um outro reino pagão que perseguiu o povo de Deus. Mas perceba que parece ser algo além do que apenas sobre o rei de Tiro: "Assim diz o Senhor DEUS: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estiveste no Éden, jardim de Deus." Espere um pouco, o rei de Tiro? Ele não estava no Éden. Quem estava no Éden? Quem estava rondando no Éden? Satanás.

"Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira" – essa é uma linda pedra azul – "carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. Tu eras o querubim, ungido para cobrir." Agora você pode ver, Satanás em Isaías trabalha por trás do rei da Babilônia; aqui em Ezequiel ele trabalha por trás do rei de Tiro. Isso é porque Satanás realiza seu grande trabalho contra o povo de Deus usando líderes políticos locais – reis e governantes.

"Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti. Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti. Pela multidão das tuas iniquidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem." Ele volta a falar do rei de Tiro sem perder o ritmo. O julgamento sobre o rei de Tiro é também uma declaração do julgamento sobre aquele que está por trás do rei de Tiro.

Satanás sempre opera através de governantes malignos para perseguir o povo de Deus. No livro de Êxodo foi o Faraó. Quando os filhos de Deus saíram do Egito, foram os cananeus, depois foi o poder dos filisteus. Então vieram os governantes da Assíria e depois os governantes da Babilônia. Você chega no novo testamento e os perseguidores do povo de Deus eram os líderes oficiais de Israel, o Sinédrio. Depois foi o império romano. A destruição do povo de Deus é sempre um empreendimento governamental.

Quero mostrar outra ilustração disso em Daniel capítulo 2. Apesar de Daniel ser um judeu em exílio na Babilônia junto com todos os judeus que foram levados, Deus o elevou por causa da interpretação do sonho de Nabucodonosor. No fim do capítulo 2, verso 46: "Então o rei Nabucodonosor se inclinou e se prostrou com rosto em terra diante de Daniel. Ordenou que oferecessem a Daniel uma oferta de cereais e incenso. O rei disse a Daniel: – Certamente o Deus que vocês adoram é o Deus dos deuses e o Senhor dos reis. Ele é quem revela os mistérios, pois você foi capaz de revelar este mistério. Então o rei engrandeceu Daniel e lhe deu muitos e grandes presentes. Ele o pôs como governador de toda a província da Babilônia. Também o fez chefe supremo de todos os sábios da Babilônia. A pedido de Daniel, o rei pôs Sadraque, Mesaque e Abede-Nego como administradores da província da Babilônia; mas Daniel permaneceu na corte do rei." Por um período Nabucodonosor gostou muito de Daniel porque todos os seus próprios tolos, disfarçados de sábios, não conseguiram interpretar e resolver nenhum dos seus dilemas. Mas ele soa quase como um crente aqui no verso 47: "Certamente o Deus que vocês adoram é o Deus dos deuses e o Senhor dos reis."

Algum tempo se passou, provavelmente alguns anos e o capítulo 3 nos dá uma imagem diferente. Nabucodonosor aparentemente se esqueceu da declaração de que o Deus de Daniel era o Deus dos deuses, e "fez uma imagem de ouro que tinha vinte e sete metros de altura e dois metros e setenta de largura, que ele levantou na planície de Dura, na província da Babilônia. Então o rei Nabucodonosor mandou reunir os sátrapas, os prefeitos, os governadores, os juízes, os tesoureiros, os magistrados, os conselheiros e todos os oficiais das províncias, para que viessem à dedicação da imagem que o rei Nabucodonosor tinha levantado. Então, se reuniram os sátrapas, os prefeitos, os governadores, os juízes, os tesoureiros, os magistrados, os conselheiros e todos os oficiais das províncias, para a dedicação da imagem que o rei Nabucodonosor tinha levantado. E ficaram em pé diante da imagem que Nabucodonosor tinha levantado." Aliás, essa era uma imagem dele mesmo.

Então, todos vieram. Verso 4: "Nisto, o arauto proclamou em alta voz: – Ordena-se a vocês, pessoas de todos os povos, nações e línguas, que, no momento em que ouvirem o som da trombeta, da flauta, da harpa, da cítara, da lira, da gaita de foles e de todo tipo de música, vocês se prostrem e adorem a imagem de ouro que o rei Nabucodonosor levantou. Quem não se prostrar e não a adorar será, no mesmo instante, lançado na fornalha de fogo ardente." Ou seja, agora Nabucodonosor se colocou como um deus, e qualquer um que desafiá-lo morrerá.

Verso 8: "No mesmo instante, alguns homens caldeus se aproximaram e acusaram os judeus. Disseram ao rei Nabucodonosor: – Que o rei viva eternamente! O senhor, ó rei, baixou um decreto, ordenando que todo homem que ouvisse o som da trombeta, da flauta, da harpa, da cítara, da lira, da gaita de foles e de todo tipo de música deveria se prostrar e adorar a imagem de ouro, e que todo aquele que não se prostrasse e não adorasse seria lançado na fornalha de fogo ardente. Há uns homens judeus, que o senhor, ó rei, pôs como administradores da província da Babilônia: Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. Esses homens fizeram pouco caso do senhor, ó rei; não prestam culto aos deuses do rei, nem adoram a imagem de ouro que o senhor levantou. Então Nabucodonosor, irado e furioso, mandou chamar Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, e eles foram levados à presença do rei. Nabucodonosor lhes disse: – Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, é verdade que vocês não prestam culto aos meus deuses, nem adoram a imagem de ouro que levantei?" Verso 16, eles respondem: "Ó Nabucodonosor, quanto a isto não precisamos nem responder. Se o nosso Deus, a quem servimos, quiser livrar-nos, ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e das suas mãos, ó rei. E mesmo que ele não nos livre" – isso é desobediência civil: "fique sabendo, ó rei, que não prestaremos culto aos seus deuses, nem adoraremos a imagem de ouro que o senhor levantou." Nabucodonosor ficou tão furioso com isso que "o aspecto do seu rosto se alterou" e ele "ordenou que se esquentasse a fornalha sete vezes mais do que de costume".

Vocês sabem o resto da história, certo? Eles foram jogados na fornalha. Verso 25: "vejo quatro homens soltos, andando no meio do fogo! Não sofreram nenhum dano! E o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses." E no verso 28 Nabucodonosor diz: "Bendito seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que enviou o seu anjo e livrou os seus servos, que confiaram nele, pois não quiseram cumprir a palavra do rei, preferindo entregar o seu corpo a servir e adorar um deus que não era o Deus deles. Portanto, faço um decreto, ordenando que todo povo, nação e língua que disser blasfêmia contra o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego seja despedaçado, e que as suas casas sejam reduzidas a ruínas. Porque não há outro deus que possa livrar como este." Isso começa a ficar um pouco repetitivo, mas ele volta atrás. Quando lhes convém, os governadores podem tolerar o povo de Deus; mas quando estão irados, eles possuem em suas mãos o poder da morte.

O capítulo 4 é incrível. É uma das maiores histórias de conversão na bíblia. É a conversão de Nabucodonosor. E é uma história escrita em primeira pessoa:

O rei Nabucodonosor às pessoas de todos os povos, nações e línguas, que habitam em toda a terra: "Que a paz lhes seja multiplicada! Pareceu-me bem tornar conhecidos os sinais e as maravilhas que Deus, o Altíssimo, tem feito para comigo. Como são grandes os seus sinais, e como são poderosas as suas maravilhas! O seu reino é um reino eterno, e o seu domínio se estende de geração em geração."

Ele era difícil de convencer, mas há uma mudança de atitude.

E então ele dá o seu testemunho. Não vou detalhar tudo. É um testemunho incrível. Ele tem um sonho que não consegue descobrir o significado, Daniel diz a ele o significado nos versos 19 a 27. O sonho era sobre ele sendo derrubado. O sonho era com uma grande árvore, que era ele, e que era cortada sem deixar nada a não ser um pequeno toco. Por quê? Porque ele precisava saber "que o Altíssimo tem domínio sobre os reinos do mundo e os dá a quem ele quer."

Então, Daniel interpreta o sonho. O verso 27 diz: "Portanto, ó rei, aceite o meu conselho: abandone os seus pecados, praticando a justiça, e acabe com as suas iniquidades, usando de misericórdia para com os pobres; assim talvez a sua tranquilidade se prolongue." Aqui há mais uma oportunidade para esse homem dizer o que dizia e acreditar de verdade. Tudo isso aconteceu com o rei. Essa é a interpretação do sonho.

Verso 29: "Passados doze meses" ele se esqueceu novamente. Ele acha que é Deus e está considerando isso. Verso 30: "o rei disse: – Não é esta a grande Babilônia que eu construí para a casa real, com o meu grandioso poder e para glória da minha majestade?" É um monólogo sobre a sua própria majestade. "Enquanto o rei ainda falava, veio uma voz do céu, que disse: – A você, rei Nabucodonosor, se anuncia o seguinte: Este reino lhe foi tirado. Você será expulso do meio das pessoas, e a sua morada será com os animais selvagens; você comerá capim como os bois, e passarão sete tempos7, até que você reconheça que o Altíssimo tem domínio sobre os reinos do mundo e os dá a quem ele quer. No mesmo instante, se cumpriu a palavra sobre Nabucodonosor. Ele foi expulso do meio das pessoas e começou a comer capim como os bois. O seu corpo foi molhado pelo orvalho do céu, até que lhe cresceram os cabelos como as penas da águia, e as suas unhas, como as garras das aves." Por sete anos. Isso é humilhação.

– Mas ao fim daqueles dias, eu, Nabucodonosor, levantei os olhos ao céu, e recuperei o entendimento. Então eu bendisse o Altíssimo, e louvei e glorifiquei aquele que vive para sempre: "O seu domínio é eterno, e o seu reino se estende de geração em geração. Todos os moradores da terra são considerados como nada, e o Altíssimo faz o que quer com o exército do céu e com os moradores da terra. Não há quem possa deter a sua mão, nem questionar o que ele faz." – Nesse tempo, recuperei o entendimento e, para a dignidade do meu reino, recuperei também a minha majestade e o meu resplendor. Os meus conselheiros e os homens importantes vieram me procurar, fui restabelecido no meu reino, e a minha grandeza se tornou ainda maior. Agora eu, Nabucodonosor, louvo, engrandeço e glorifico o Rei do céu, porque todas as suas obras são verdadeiras, e os seus caminhos são justos. Ele tem poder para humilhar os orgulhosos.

Ele aprendeu isso. Eu creio que vocês o verão no céu. Essa é uma história de conversão verdadeira.

A questão que quero destacar com isso é que sempre está no poder de monarcas destruir o povo de Deus. Por isso que Provérbios 16:12 diz: "Abominação é aos reis praticarem impiedade", isso porque tudo fica de cabeça para baixo. Um trono é estabelecido apenas em justiça.

Veja Atos capítulo 4. Os líderes judeus disseram aos apóstolos: "parem de pregar!". Em Daniel 3 Nabucodonosor disse: "parem de adorar!". Novamente em Daniel 6 os governantes disseram: "parem de orar ou jogaremos vocês na cova dos leões." O governador da Califórnia diz: "Parem de cantar! Parem de se abraçarem!" Mas o povo de Deus não para porque – ouça bem – nenhuma autoridade humana é absoluta. Repito: nenhuma autoridade humana é absoluta. Todas as autoridades humanas apenas são autoridades contanto que funcionem conforme Deus as planejou; e quando elas deixam de funcionar dessa forma, mas se voltam a si mesmas para fazer o contrário, elas abandonam a autoridade dada por Deus. Óbvio, as consequências são desastrosas.

Eu amo um parágrafo de Doug Wilson falando sobre Pedro. Ele disse: "O homem que nos disse para nos submetermos ao governo foi logo em seguida executado pelo magistrado como alguém que representava uma grande ameaça à ordem civil. Esse é o mesmo homem que foi libertado da cadeia por anjos, e que sumiu do livro de Atos como um homem procurado. Os guardas que o perderam foram executados pelo seu desaparecimento. Esse era o homem que foi aprisionado por ser líder de cristãos e que mais cedo havia dito ao sinédrio que ele não deixaria de pregar, não importava o que dissessem. E ele estava escrevendo a sua carta para preparar os cristãos que seguiam a lei para o período de perseguição que estava chegando, período esse quando eles seriam acusados de serem rebeldes. Então o que quer que essas palavras do capítulo 2 signifiquem, elas deveriam ser consistentes com a vida do homem que as escrevera." Você se submete quando o governo opera da maneira que Deus o planejou.

Estamos começando a ver perseguição do governo. Essa é a mais extraordinária perseguição: COVID, LGBTQ, transgêneros, justiça social – todas essas novas ideologias se tornarão agora o único padrão moral aceitável. E se você não aceitá-los, você será o inimigo do governo. A verdade, a bíblia, as escrituras, serão canceladas. O governo está tomando o controle, ele quer tomar controle de absolutamente todas as coisas. A igreja se tornou o principal inimigo do governo – o que não é novidade.

Algumas percepções úteis de Tim Cantrell, um de nossos missionários na África do Sul: "Em Julho de 1933 durante o primeiro verão de Hitler no poder, um jovem pastor chamado Joachim Hossenfelder pregou um sermão na Igreja Memorial Kaiser Wilhelm, a igreja mais importante de Berlin. Ele usou as palavras de Romanos 13 para lembrar os devotos sobre a importância da obediência àquelas autoridades". Isso foi em 1933. "A igreja estava toda decorada com faixas nazistas, os bancos da igreja lotados de nazistas, fiéis soldados em uniformes." Anteriormente, naquele mesmo ano, Friedrich Dibelius, "um bispo alemão que era das mais elevadas posições dentre os protestantes no país" também pregou sobre Romanos 13 "para justificar toda a tomada de poder nazista e ações brutais", chegando a deturpar as palavras do próprio Martinho Lutero na questão dos poderes do estado. Três dias depois do sermão de Dibelius, "o parlamento alemão foi dissolvido" e Hitler assumiu. Dentro de poucos anos, 6 milhões de judeus foram mortos e o mundo foi devastado pela Segunda Guerra Mundial.

Durante a história, até mesmo no mundo ocidental, as pessoas viveram sob o que foi chamado de direito divino dos reis. Acreditava-se que os reis tinham um direito divino. Essa foi a monarquia absolutista. Basicamente, o que quebrou isso foram os reformadores. Havia a expressão "a lei é o rei", não o homem. Por causa do mito do direito divino dos reis, tornou-se justificável o massacre de inúmeros filhos de Deus.

Um escritor sobre o novo testamento disse que Romanos 13 "causou mais infelicidades e misérias que quaisquer outros versos no novo testamento, pela licença que eles dão a tiranos. São usados para justificar inúmeros e terríveis abusos do direito humano individual." O holocausto de Hitler, o racismo no apartheid da África do Sul. Cantrell diz: "Ambos judeus na Alemanha e negros na África do Sul eram vistos como uma ameaça à saúde pública e segurança nacional. O governo dizia: ‘Confie em nós. Temos as melhores intenções. Só queremos ajudá-los e mantê-los seguros’".

O governo já se tornou o fornecedor de iniquidades. O governo é assassino, massacrando milhões de crianças com o aborto; promovendo a agenda LGBTQ – a bizarra decepção transgênera. A cultura se tornou anti-verdade, todos sabemos disso. A verdade é a maior ameaça à mentira. William Pitt, um nome conhecido na história inglesa disse isso: "Necessidades (como saúde pública, bens comuns) são o apelo de todas as violações da liberdade humana: é o argumento dos tiranos."

"Deixe as pessoas com medo e elas farão qualquer coisa que você quiser. Uma sociedade amedrontada sempre irá consentir; pessoas em pânico acreditarão em qualquer coisa."8

"Durante os tenebrosos e sanguinários dias da Revolução Francesa, quando 40.000 pessoas inocentes perderam suas cabeças"9, é curioso saber quem operava as guilhotinas: o Comitê de Segurança Pública. Um escritor disse: "Hoje os governos são votados ao poder por prometerem supervisionar moradias, educação, medicina, economia, moeda, salário mínimo, comida, água, terra, e a lista continua. O governo se tornou um pai e os cidadãos são seus dependentes. Nesta posição, o governo se torna uma enorme jamanta de burocracia, devorando impostos e tentando controlar todos os detalhes da vida." E, definitivamente, eles querem controlar a igreja e silenciar sua proclamação.

Em seu livro "O Glorioso Corpo de Cristo", Kuiper escreveu: "Nossa era é a da passividade eclesiástica… quando uma igreja deixa de ser militante ela também deixa de ser uma igreja de Jesus Cristo… uma igreja verdadeiramente militante se levanta em oposição ao mundo tanto fora de suas paredes quanto dentro… de tempos em tempos, na sua história, a igreja viu a necessidade de afirmar sua soberania contra as usurpações do estado." E Kuiper deu alguns exemplos bíblicos, como quando o rei Saul ou o rei Uzias usurparam o sacerdócio. Kuiper afirma: "Em ambas situações um representante do estado foi severamente punido por intrometer-se na soberania da igreja."

Cantrell disse: "O senhor Macaulay, da Inglaterra, resume a reputação dos puritanos nessa questão. Ele se curva no pó diante de seu Criador; enquanto este coloca Seu pé no pescoço do rei." Kuiper diz: "A nossa era é a do totalitarismo do Estado. Em todo mundo o estadismo está em ascensão… como consequência, em muitos lugares a igreja se encontra inteiramente à mercê do Estado, cuja misericórdia frequentemente se prova ser cruel, enquanto que em outros lugares rapidamente toma terreno a noção de que a igreja existe e opera com permissão do Estado." Não operamos com permissão do Estado; operamos segundo a ordenança do Senhor.

Francis Schaeffer, que faleceu em 1984, disse: "Se não há mais nenhum local para desobediência civil, então o governo foi feito autônomo e, como tal, foi colocado no lugar do Deus vivo." E esse ponto é exatamente quando as igrejas primitivas realizaram seus atos de desobediência civil mesmo quando custavam suas vidas. "Atos do Estado que contradizem as leis de Deus são ilegítimos, são atos de tirania. Tirania é governar sem a aprovação de Deus. Resistir a tirania é honrar a Deus… a conclusão é que em determinado momento não é apenas correto, mas é um dever desobedecer ao Estado."

Cantrell disse: "Certa vez G. K. Chesterton fez essa observação: ‘É apenas por acreditarmos em Deus que podemos criticar o governo. Uma vez abolido Deus, o governo se torna deus. Onde quer que as pessoas não acreditam que exista algo além do governo, eles o adorarão, eles adorarão o que há de mais forte no mundo."

João Calvino disse: "Somos sujeitos aos homens que são autoridades sobre nós, mas sujeitos apenas no Senhor. Se eles ordenarem qualquer coisa contra Ele, não lhes prestemos nenhum respeito e nem nos movamos por toda dignidade que possuem como magistrados."

Agora, sobre os Escoceses Covenanters, eram pessoas incríveis. Andrew Melville foi preso na Torre de Londres por causa do evangelho. Na verdade, ele foi preso porque confrontou o King James, da bíblia King James. Isso foi o que Melville disse: "Existem dois reis e dois reinos na Escócia. Existe o rei James, o cabeça da comunidade e existe o Rei Jesus, o cabeça da igreja, a quem o rei James está sujeito e cujo reino este não é cabeça, nem senhor, mas apenas um membro." Por ter dito isso, ele foi preso.

Cantrell disse: "Em 1660 os Covenanters assinaram o seu pacto nacional" com seu sangue. "O historiador S. M. Houghton diz que eles estavam determinados a resistir até a morte às reivindicações do rei de substituir a coroa da justiça do Redentor Jesus Cristo em Sua igreja. O pacto nacional deles deu superior honra ao eterno Deus e Sua santa palavra; exigiu a fiel pregação da palavra; a devida e correta ministração dos sacramentos. Aqueles que assinaram disseram: ‘não tememos a imunda calúnia da rebelião nem qualquer obra e maldade que nos colocariam nossos adversários, vendo que o que fazemos é tão necessário e se origina de um desejo sem hipocrisia de manter a verdadeira adoração a Deus, a majestade do nosso Rei e a paz do Seu reino, para a nossa felicidade comum e nossa prosperidade’. Eles se comprometeram aos olhos de Deus a serem ‘bons exemplos a outros, de toda piedade, sobriedade, justiça e toda função que devemos a Deus e ao homem.’"

O governo vence? Satanás vence? Não, porque no capítulo 19 de Apocalipse, Jesus retorna, não é? E destrói todo reino que se opõe a Ele. Na batalha do armagedom, Ele os elimina. Ouça o Salmo 2: "Por que se enfurecem as nações e os povos imaginam coisas vãs? Os reis da terra se levantam, e as autoridades conspiram contra o Senhor e contra o seu Ungido" – é isso que os governantes do mundo fazem. Eles dizem: "‘Vamos romper os seus laços e sacudir de nós as suas algemas.’ Aquele que habita nos céus dá risada; o Senhor zomba deles. Na sua ira, a seu tempo, lhes falará e no seu furor os deixará apavorados, dizendo: ‘Eu constituí o meu Rei sobre o meu santo monte Sião.’" O Rei está vindo, não é?

O rei diz: "Proclamarei o decreto do Senhor. Ele me disse: ‘Você é meu Filho, eu hoje te gerei. Peça, e eu lhe darei as nações por herança e as extremidades da terra por sua possessão. Com uma vara de ferro você as quebrará10 e as despedaçará como um vaso de oleiro.’" Agora, pois, ó reis, sejam prudentes; deixem-se advertir, juízes da terra. Sirvam o Senhor com temor e alegrem-se nele com tremor. Beijem o Filho para que não se irrite, e não pereçam no caminho; porque em breve se acenderá a sua ira. Bem-aventurados todos os que nele se refugiam.

Um alerta aos líderes desta nação e a todas as nações: o Rei está voltando. Ele vai destruir toda oposição.

Satanás persegue a igreja através de governos. Mas o Filho de Deus veio destruir o diabo, deixando-o sem poder, para derrubar o reino final de Satanás. Como conclusão, Romanos 8:31: "Se Deus é por nós, quem será contra nós?" Vamos orar.


Pai, somos tão gratos por causa da confiança que temos, o suporte para nossas almas da Sua preciosa verdade: Sua Palavra. Obrigado por essas pessoas queridas. Obrigado pela fidelidade deles, pelo seu amor por Ti, pelo amor forjado em seus corações, por Ti e para Ti. Obrigado pela alegria da comunhão. Nos dê tal alegria, conforme entendemos que o que está para acontecer será tudo para a Sua glória.

Toda história está se desdobrando de acordo com o plano que Tu desenhaste. Teus propósitos não podem ser frustrados. Tu irás triunfar. Cristo virá. Ele destruirá Seus inimigos. Ele destruirá todos os reis e governantes e reinará sozinho em Seu glorioso reino, do qual, nós que O amamos, seremos parte. Aguardamos este dia. Até lá, que celebremos com alegria e gratidão sermos parte agora mesmo deste reino; e nós que O conhecemos e O amamos reinaremos com Ele. Te agradecemos por essa promessa.

Que nunca fiquemos desencorajados pelo que está ocorrendo no mundo. Que entendamos que isso é exatamente o que as escrituras dizem que devemos esperar. Nos ajude a não sermos apanhados nas políticas desses assuntos, mas que vejamos isso através das lentes das escrituras.

Sabemos que o diabo tem um plano, mas Tu também tem; e Tu irás triunfar. Estás triunfando agora mesmo na Igreja da Graça e estamos nos deleitando em uma prévia do Teu triunfo. Te agradecemos pela doce dádiva de graça. Leve a Ti aqueles dentre nós hoje que não conhecem a Cristo. Aproxime essa alma ao Seu reino. Para a Sua glória oramos. Amém.


1 Pelo Senhor.
2 Conjunto.
3 Ou governador.
4 Ou seja, a humanidade.
5 Novamente, esse é Satanás.
6 Sátira, zombaria.
7 Literalmente sete anos.
8 Cantrell.
9 Cantrell.
10 Aquelas nações.